Programa Dramaturgias de corpos dançantes

Programa Dramaturgias de corpos dançantes

Curadoria_ Cristiana Miranda e Lucas Murari

__________________

29/ SET | 16h_ Cinemateca do MAM-RJ

04/OUT | 18h_ CCSP

__________________

O cinema é uma arte do corpo, matéria viva que atravessa lentes e máquinas, e se projeta em pequenas partículas levadas pela luz. O cinema experimental sempre reivindicou um corpo vivo, que experimenta a imagem sem hierarquia entre ela e aquilo que a rodeia, o público e o autor. Um corpo que revela segredos e memórias, assume suas mágoas e seus desejos. O programa “Dramaturgias de corpos dançantes” reúne um grupo de filmes que traçam percursos que vão do Brasil à Ucrânia, passando pelo Canadá, França e Alemanha, unidos pela experiência de um tempo onde o corpo do artista atravessa a solidão e a guerra, a memória incômoda de um século que começa anunciando o fim dos tempos. Cinema de um corpo que dança, esses filmes se afirmam como potências de vida e crítica, afeto e contágio da pulsão de viver.

Cristiana Miranda
Lucas Murari
Curadoria

__________________

ASPECTO FANTASMA (PHANTOM ASPECT)
de Oleksandr Isaienko. Ucrânia, 2023, 5’20’’

Sinopse_ O “Aspecto Fantasma” faz uma transferência emocional para imagem do sentimento de uma sirene fantasma no contexto de uma guerra real.

Equipe_ Direção e Realização:  Oleksandr Isaienko

Sobre x artista_ Oleksandr Isaienko nasceu em 1976 em Izmail, UkrSSR. É um artista ucraniano que trabalha com diversas mídias, incluindo fotografia, vídeo, texto. Vive e trabalha em Odessa, na Ucrânia. Atualmente está sediado em San Diego, na Califórnia (EUA).

__________________

ESTRELAS EM ALBAICIN (STARS AT ALBAICIN)
de Jean-Michel Bouhours. França, 2023, 7’10’’

Sinopse_ Em vez de filmar o flamenco com um olhar de fora sobre o seu objeto, procurei entrar nos corpos dos protagonistas, dançarinos e tocador de guitarra (tocaor): o polirritmo visual e as repetições tentam transcrever a embriaguez dionisíaca do dançarino de flamenco.

Equipe_ Imagens, Pinturas, Colagens, Edição e Som: Jean-Michel Bouhours

Sobre x artista_ Jean-Michel Bouhours nasceu em 1956 na França. Realiza filmes experimentais desde meados da década de 1970. Ganhou o Prêmio Especial do Júri no Festival du Jeune Cinéma (Toulon, França, 1976) por “Rythmes 76” (1975-76). Desde 2018 explora extensões de processos analógicos com técnicas digitais.

__________________

FEITIÇO,
de Khalil Charif. Brasil, 2023, 6’

Sinopse_ Um feitiço é lançado nas pistas de dança, e transforma a atmosfera. Uma combinação experimental de elementos, realizada com imagens de arquivo dos anos 70, 80, e 90, no Rio de Janeiro.

Equipe_ Direção, Edição e Design de Som: Khalil Charif | Arquivo de Imagens: Arquivo SSN, Harlem Barcellos, Irineu Ricardo, Kalinga | Música: Michael Zager

Sobre o artista_ Khalil Charif (1967) é artista, estudou na EAV Parque Lage e tem pós-graduação em História da Arte pela PUC-Rio. Participou da BIENALSUR (Argentina, 2019 e 2021) e da Biennale WRO (Polônia, 2021).

__________________

PRIMAVERA EM CADA VIDA
de Joaquim Castro e Rafael Saar.
Brasil, 2022, 14’32’’

Sinopse_ São mortos os que nunca acreditaram
Que esta vida é somente uma passagem,
Um atalho sombrio, uma paisagem
Onde os nossos sentidos se pousaram.

Equipe_ Direção, Montagem, Argumento e Desenho de Som: Joaquim Castro, Rafael Saar | Elenco: Helena Ignez | Textos: Florbela Espanca | Fotografia: Joaquim Castro | Música Original: Piqueras Santangelo | Mixagem: João Bento

Sobre x artista_ Rafael Saar é diretor e montador. Realizou “Depois de tudo”, “Yorimatã” e “Peixe abissal”.

Joaquim Castro é diretor e montador. Realizou “Dominguinhos” e “Máquina do Desejo”.

__________________

ÁLAMO,
de Lívia Sá. Brasil, 2023, 8’18’’

Sinopse_ ÁLAMO é uma imersão nos espaços negativos e positivos de uma paisagem que se modifica e se sobrepõem a cada respiro. As sombras contrastam e compõem o corpo que se move despido. Logo, o suor e a chuva se materializam em grãos sobre a pele.

Equipe_ Direção: Lívia Sá e Sofia Scharff | Cinematografia e Montagem: Lívia Sá | Performance: Sofia Scharff | Trilha Sonora: Tom Monteiro

Sobre x artista_ Lívia Sá é uma artista multimídia e documentarista. Reside entre Nova York e Brasil. Mestre em Comunicação e Mídia pela The New School, Lívia trabalha com técnicas experimentais e mídias analógicas.

Sofia Scharff é performer e massoterapeuta. Tem formação livre em dança e pós-graduação como analista do movimento pelo Laban/Bartenieff Institute, Nova York. Atualmente, Sofia estuda Fisioterapia.

__________________

VARIAÇÕES E PERMUTAÇÕES
(VARIATIONS AND PERMUTATIONS)
de Cheryl Pagurek. Canadá, 2022, 7’

Sinopse_ Combinando pontos de vista e abordagens variados da criação de imagens, desde a câmera lenta, até a projeção em suporte transparente (scrim) e a gravação digital de telas, “Variações e Permutações” entrelaça filmagens da dançarina Jocelyn Todd e as interações expressivas que ela performa na instalação de vídeo e áudio “States of Being”, de Cheryl Pagurek.

Equipe_ Direção: Cheryl Pagurek | Dançarina: Jocelyn Todd | Música: Jesse Stewart

Sobre x artista_ Cheryl Pagurek destaca a natureza construída através dos suportes que utilizam lentes, ao mesmo tempo em que abraça o potencial criativo da computação e da tecnologia. Seu trabalho foi amplamente exibido no Canadá e internacionalmente em exposições e inúmeras exibições de vídeos.

__________________

SHE’S READY
de Nina Cavalcanti. Alemanha, 2022, 8’45’’

Sinopse_ “She’s Ready” levanta questões sobre os papéis que as pessoas desempenham na vida cotidiana. Mais do que isso, o filme lança luz sobre os movimentos dos corpos das mulheres, reafirmando sua capacidade criativa e liberdade de criar suas próprias vidas. “She’s Ready” explora os aspectos coreográficos de um casamento e retrabalha livremente seus movimentos de forma improvisada com atrizes e dançarinas. No palco, outras mulheres acrescentam outras versões, cores e brilhos ao corpo da noiva. O filme desconstrói narrativas e cria outras, revelando ritmos e danças alternativos ao brincar com a linguagem corporal e o gesto.

Equipe_ Realização e Direção: Nina Cavalcanti | Elenco: Bea Rodrigues, Bernardo Zanotta, Diethild Meier, Felix Koch, Irene Selka, Joyce, Julek Kreutzer, Jules Elting, Lea,  Letícia da Rosa, Licia Soldavini, Marcela Reichelt, Marion Breton, Melissa Dullius, Nina Cavalcanti, Simone Donha e Vanessa Heeger | Produção: Dedé Veloso e Nina Cavalcanti | Edição: Aline Bonvin

Sobre x artista_ Nina Cavalcanti é uma artista visual e filmmaker brasileira que vive em Berlim desde 2014. De 2005 para cá, documentou artistas como Arnaldo Antunes, Nação Zumbi, Emicida e Gilberto Gil. Em 2017, fez seu primeiro curta-metragem, “You are no Stranger to my Heart”. Em 2021 obteve Bacharelado em Belas Artes na Filmuniversität Babelsberg. Em outubro de 2022 ingressou no mestrado “Spatial Strategies” da Weißensee Kunsthochschule em Berlim. Segue desenvolvendo sua pesquisa sobre linguagem corporal, explorando os limites entre performance e realidade em filmes, instalações e mais.